Lima & Santana Propaganda

Google lança banco para usar dados dos utilizadores

Agência de Propaganda em Santos

Blog - Primeiro, o ponto de ordem necessário. A Google faz muito dinheiro, tanto dinheiro que não precisa de se transformar num banco para conseguir ganhar um pouco mais. Os pagamentos não serão a próxima galinha dos ovos de ouro da tecnológica norte-americana, esse não é, nem será, o seu negócio, mas ter uma solução bancária associada pode ajudar o ecossistema de dados a crescer (e a tornar-se ainda mais rentável).

Portifolio - Disponibilizar uma conta bancária aos utilizadores dos serviços da Google é apenas um meio para atingir um fim, e esse será o preço a pagar por cada um para que a sua vida se torne ainda mais simples. Quem tiver um depósito na Google (numa parceria com o Citigroup) não pagará taxas de manutenção, mas dará à empresa acesso a informação valiosa sobre o seu comportamento online e os seus padrões de consumo. E isso vai tornar o negócio da publicidade ainda mais lucrativo, através de campanhas cada vez mais direcionadas aos clientes. Trata-se de uma “prioridade estratégica chave” para a empresa, como aponta o analista da Wells Fargo Brian Fitzgerald numa nota enviada aos clientes.

Empresa de Publicidade - Os responsáveis pela empresa sabem que quanto mais agregadora for a experiência de utilização dos seus serviços maior é a probabilidade de os consumidores mudarem de hábitos e os escolherem como primeira opção na hora de comprar (e inverter o jogo a seu favor). Para atrair clientes para a sua solução bancária, poderão existir até descontos associados ou uma devolução de parte do dinheiro gasto nas transações. Embora seja expectável que no futuro chegue uma solução de crédito, esse passo não será dado de imediato pela empresa, que começará por disponibilizar o serviço em solo norte-americano.

Simpatia para atrair dinheiro e sorte para empresa - Atualmente, e no que aos Estados Unidos da América diz respeito, a Amazon (que ainda não está presente como loja em Portugal) tem 54% das buscas relacionadas com produtos, contra a quota de 46% da Google. Com um ponto de partida diferente, a gigante das vendas através da internet, que já tinha acesso a informação sobre os padrões de consumo, está a apostar no tratamento dos dados dos clientes para vender publicidade. Mas a Google e a Amazon não são as únicas tecnológicas a olhar com interesse para os pagamentos. O Facebook quer integrá-los nas suas plataformas e tem o seu projeto de moeda virtual Libra e a Apple lançou um cartão de crédito com a Goldman Sachs, por exemplo. O movimento tem o surpreendente apoio da banca de retalho tradicional.

Criação de Aplicativos em Santos - Ameaçados pelo crescimento de fintechs como a Revolut, autênticas startups que mostraram força para competir com custos muito inferiores, os bancos estão a ver as tecnológicas como parceiros estratégicos para a transformação digital. O perigo é só um: depois de entrarem no sector, as tecnológicas podem revelar-se verdadeiros cavalos de Troia e tomarem a banca como um todo.

Fonte: https://expresso.pt/sociedade/2019-11-23-Google-lanca-banco-para-usar-dados-dos-utilizadores