Lima & Santana Propaganda

Na final vamos ganhar, é o que importa

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, usou metáforas futebolistas para tratar de erros e acertos do governo nos seus 100 primeiros dias. Sobre uma estimativa de votos para aprovação da reforma da Previdência, o ministro não disse que se entra em campo preocupado em ganhar ou empatar os primeiros jogos, pois “na final vamos ganhar, é o que importa”.

Além disso, Onyx acredita que conquista essa “taça”, “seguramente”, no primeiro semestre do ano, fazendo o Brasil entrar em um “portal de prosperidade”.

Em entrevista coletiva no Palácio do Planalto, perguntei ao ministro, mantendo sua linha futebolística, se ele tinha combinado essa final com os russos (Congresso).

Rádio Corporativa -
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

SLIDE -
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Anteriormente, Onyx já tinha falado em humildade para reconhecer erros e paciência, pois não há fórmula no “Google” para governar sem o “toma lá, dá cá”. Perguntei também o que entra no lugar do presidencialismo de coalizão e como o governo vai construir maiorias.

Segundo Onyx, essa fórmula não existe e o que está sendo feito, baseado na experiência internacional, com honestidade e decência é a construção de um novo caminho. “Estamos aprendendo a construir”, disse.

Ainda de acordo com Onyx, Executivo e Legislativo precisam se reinventar, pois a sociedade mandou um sinal claro de que não quer mais o “toma lá, dá cá” ao eleger “o mais improvável dos candidatos”, o que “mais compreendeu o recado das ruas”.

“Sabemos que devemos a essas pessoas a vitória nessa eleição e tentamos aqui cumprir com o que eles nos sinalizaram”, disse Onyx.

Para Onyx, há uma adaptação a um novo momento, há uma transição que tem que ser “do bem e está sendo do bem”, pois, segundo o ministro, os líderes partidários que estiveram com Bolsonaro “foram unânimes em dizer que não queriam cargos”.

“Vamos nos adaptar ao novo modelo, o Brasil precisava mudar. Temos um novo momento e todos nós estamos tentando, com a maior paciência encontrar os caminhos para que os parlamentares se sintam respeitados, valorizados e partícipes desse momento de transformação do Brasil”, afirmou.

Fonte: https://www.seudinheiro.com/onyx-sobre-previdencia-na-final-vamos-ganhar-e-o-que-importa/